Curcumina Melhora os Sintomas de Depressão Maior

por Hi-Nutrition / 21 Março 2019 / Estudo Científico

Em primeiro lugar, a depressão é caracterizada por baixos níveis de antioxidantes, que protegem contra o dano oxidativo, incluindo lipoproteína de alta densidade (HDL), atividade de lecitina-colesterol aciltransferase (LCAT), paraoxonase 1 (PON1) e vitamina E, associados a danos oxidativos aos lipídios, proteínas e DNA.

Em segundo lugar, a depressão maior é acompanhada por indícios de estresse nitrosativo, conforme indicado pelo aumento da atividade do óxido nítrico sintetase induzível (NO), nitração e nitrosilação de proteínas. Na depressão, tanto as vias neuro-oxidativas quanto as neuro-nitrosativas podem causar neuroprogressão, a saber, as disfunções neuronais causadas pelas vias oxidativas, levando ao aumento da neurotoxicidade e citotoxicidade, juntamente com distúrbios na plasticidade sináptica e diminuição da neuroproteção.

Em terceiro lugar, há também evidências de que as vias neuro-imunes ativadas podem desempenhar um papel fundamental na depressão e nas vias neuroprogressivas que acompanham a doença. Por exemplo, a ativação de respostas imunes mediadas por células e inflamação moderadas são encontradas na depressão maior, incluindo níveis aumentados de citocinas neurotóxicas e citotóxicas, como a interleucina (IL) -1, IL-6 e IL-17.

Os agentes antidepressivos supostamente atuam sobre a modulação de vias serotoninérgicas, mas evidências indicam que apenas aproximadamente um terço dos pacientes com depressão maior alcançam remissão.

Um estudo randomizado controlado (RCT) mostrou que a curcumina, administrada por via oral, foi significativamente mais eficaz do que o placebo na melhora dos sintomas depressivos. Duas meta-análises recentes que incluíram seis estudos mostraram que o tratamento da depressão com curcumina (por via oral 500 a 1000 mg/dia) melhora significativamente os sintomas depressivos e ansiedade. No entanto, mais investigações com períodos de tratamento maiores que 8 semanas e com maiores doses de curcumina são necessários.

Objetivo do Estudo

Esse estudo duplo-cego, randomizado e controlado avaliou os efeitos da curcumina como adjuvante no tratamento do Transtorno Depressivo Maior (TDM). Assim, 65 pacientes com TDM foram randomizados para receberem como adjuvante durante 12 semanas Curcumina 500 a 1500 mg/dia (Grupo 1) ou Placebo (Grupo 2).

Resultados:      

 

ü  A curcumina foi mais eficaz que o placebo na melhora dos escores de Montgomery-AsbergDepression Rating Scale (MADRS) com diferença significativa entre os grupos 1 e 2 emergindo nas semanas 12 e 16;

ü  Os efeitos da curcumina foram mais pronunciados em homens, comparado as mulheres;

ü  Não foram reportados efeitos adversos significativos após o tratamento

 

Conclusão:

O tratamento adjuvante com curcumina promove efeitos antidepressivos em pacientes com TDM.


Referência:

Kanchanatawan B1, Tangwongchai S1, Sughondhabhirom A1, Suppapitiporn S1, Hemrunrojn S1, Carvalho AF2, Maes M3,4,5.Add-on TreatmentwithCurcuminHasAntidepressiveEffects in ThaiPatientswith Major Depression: Resultsof a Randomized Double-Blind Placebo-ControlledStudy.Neurotox Res. 2018 Apr;33(3):621-633. doi: 10.1007/s12640-017-9860-4. Epub 2018 Jan 11.

Receba este e outros estudos direto no seu e-mail.
Preencha o Formulário e Fique Sempre Atualizado!

Não se prepocupe, seus dados serão mantidos em sigilo.

TOP