Estudo Comprova: Supositório de Curcumina e Calendula Reduz a Inflamação na Prostatite Crônica e Síndrome de Dor Pélvica Crônica.

por HI-NUTRITION / 21 Dezembro 2018 / Estudo Científico
A prostatite crônica e a síndrome de dor pélvica crônica são muito comuns em homens com menos de 50 anos de idade. Seguindo a classificação do National Institute of Health (NIH), os doentes que apresentem sintomas urogenitais crônicos ou recorrentes, como dor ou desconforto na região pélvica, em três dos últimos seis meses, sem evidência de infecção bacteriana são diagnosticados como prostatite crônica/síndrome de dor pélvica crônica (CP/CPPS).
O uso das terapias fitoterápicas em pacientes com tal patologia visa à diminuição da dor e a melhora da qualidade de vida. Neste contexto faz se necessário o uso de substâncias com ação anti-inflamatória.
A Calendula officinalis apresenta inúmeras características químicas e farmacológicas que estão implicadas na cicatrização de feridas e ação antiespasmódica. Além dessas características, a C. officinalis apresenta propriedades farmacológicas como: anti-inflamatório; antioxidante; antiedematoso imunoestimulante; efeitos hepatoprotetores; antimicrobiano e antiviral.
A curcumina apresenta a habilidade de modular moléculas de sinalização tais como citocinas pró-inflamatórias (TNF-α, IL-1β e IL-6), proteínas apoptóticas, NF-KB, COX-2, endotelina-1 e malondialdeído (MDA). 
Um estudo conduzido por Morgia em 2017 avaliou os efeitos de um supositório com C. officinalis e curcumina em pacientes com (CP/CPPS), principalmente em pacientes que apresentam efeitos colaterais com a terapia com supositório de dipropionato de beclometasona.

Objetivo do Estudo

Neste estudo conduzido por Morgia et al. (2017), foi avaliada a eficácia do tratamento com supositório de curcumina e calêndula em pacientes com CP/CPPS tipo III. De junho de 2015 a janeiro de 2016 foram selecionados 60 pacientes afetados com CP/CPPS tipo III. Pacientes tinham idades entre 20 e 50 anos e apresentavam sintomas de dor pélvica por três meses ou mais antes do estudo e com escores totais do National Institutes of Health Chronic Prostatitis Symptom Index (NIH-CPSI) maiores ou iguais a 15. Os pacientes foram divididos em 2 grupos para receberem a seguinte posologia por 30 dias: Grupo 1(n=30) Supositório de Calendula officinalis 80 mg + Curcumina 350 mg 1 supositório ao dia. Grupo 2 (n=30) Supositório de placebo ao dia. Foram analisados a redução dos escores do NIH-CPSI e também dos escores do IIEF-5, VAS, o pico de fluxo e o Premature Ejaculation Diagnostic Tool (PEDT).

Resultados:

Um total de 48 pacientes concluiu o protocolo do estudo. A idade mediana da coorte foi de 32,0 anos, a mediana de NIH-CPSI de 20,5, a mediana de IIEF-5 de 18,5, a mediana de PEDT de 11,0, a mediana de VAS de 7,5 e a mediana de pico de fluxo de 14,0. Após 3 meses de terapia no grupo A observámos uma melhoria significativa de NIH-CPSI (-5,5; p & lt; 0,01), IIEF-5 (+ 3,5; p & lt; 0,01), PEDT (-6,5; p & lt; 0,01) , pico de fluxo (+2,8; p & lt; 0,01) e VAS (-6,5; p & lt; 0,01) com diferenças significativas em relação ao grupo placebo (todos p-valor significativo).
Conclusão:
Este estudo clínico mostrou a eficácia clínica do tratamento de curcumina e C. officinalis com CP/CPPS. Os benefícios do tratamento podem estar relacionados com a redução da inflamação.

Referência

Morgia G1, Russo GI, Urzì D, Privitera S, Castelli T, Favilla V, Cimino S. A phase II, randomized, single-blinded, placebo-controlled clinical trial on the efficacy of Curcumina and Calendula suppositories for the treatment of patients with chronic prostatitis/chronic pelvic pain syndrome type III. Arch Ital Urol Androl. 2017 Jun 30;89(2):110-113. doi: 10.4081/aiua.2017.2.110.
Receba este e outros estudos direto no seu e-mail.
Preencha o Formulário e Fique Sempre Atualizado!

Não se prepocupe, seus dados serão mantidos em sigilo.

TOP