Glutamina Oral Reduz Dano no Miocárdio Após Revascularização Coronariana

por HI-NUTRITION / 8 Novembro 2018 / Estudo Científico
A glutamina é o aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular. Nutricionalmente é classificada como um aminoácido não essencial, uma vez que pode ser sintetizada pelo organismo a partir de outros aminoácidos. Ela está envolvida em diferentes funções, tais como a proliferação e desenvolvimento de células, o balanço ácido básico, o transporte da amônia entre os tecidos, a doação de esqueletos de carbono para a gliconeogênese, a participação no sistema antioxidante e outras.

A glutamina contribui com a síntese de novo da arginina. Este aminoácido é um importante regulador da síntese proteica e da proteólise e também é um precursor da produção de óxido nítrico, um agente de sinalização com papel crucial na imunidade, inflamação e perfusão de órgãos. A suplementação de glutamina corrige as concentrações de arginina o que melhora a proteção dos tecidos e também do miocárdio. Estudos sugerem que as reduções dos marcadores cardíacos foram observadas em pacientes que receberam glutamina intravenosa e glutamina oral.

Objetivo do estudo 

Neste estudo conduzido por Chávez et al., 2017 teve como objetivo analisar o efeito da suplementação oral pré-operatória de glutamina sobre os níveis séricos de marcadores cardíacos no pós-operatório. Para isso, um ensaio clínico randomizado foi realizado em 28 pacientes com doença cardíaca isquêmica que foram submetidos à circulação extracorpórea. Os pacientes receberam: Grupo 1 - Glutamina via oral 0,5g kg/dia ou Grupo 2 - Maltodextrina 3 dias antes da cirurgia. Marcadores de lesão cardíaca como troponina-I, creatinofosfoquinase e creatinofosfoquinase-Mb foram medidos em 1, 12 e 24 horas de pós-operatório.

Resultados

Nas primeiras 12 e 24 horas, os níveis de marcadores séricos foram significativamente menores no grupo da glutamina em comparação com os controles (p = 0,01 ep = 0,001, respectivamente) (p = 0,004 e p <0,001, respectivamente).  As complicações foram significativamente menores no grupo glutamina (p = 0,01, RR = 0,54, IC 95% 0,31-0,93).  A mortalidade foi observada com 2 casos de falência múltipla de órgãos no grupo controle e 1 caso de embolia pulmonar no grupo glutamina (p = 0,50).

Conclusão

A glutamina oral pré-operatória padronizada na dose de 0,5 g/kg/dia demonstrou uma redução significativa no dano miocárdico pós-operatório. Além disso níveis mais baixos de marcadores de lesão cardíaca, morbidade e mortalidade foram observados em pacientes que receberam glutamina.

Referência

Chávez-Tostado M1, Carrillo-Llamas F, Martínez-Gutiérrez PE, Alvarado-Ramírez A, López-Taylor JG, Vásquez-Jiménez JC, Fuentes-Orozco C, Rendón-Félix J, Irusteta-Jiménez L, Calil-Romero VC, Ramírez-Jiménez JA, Michel-Espinoza LR, Contreras-López CK, Cuesta-Márquez LA, González-Ojeda A.Oral glutamine reduces myocardial damage after coronary revascularization under cardiopulmonary bypass. A randomized clinical trial. Nutr Hos
Receba este e outros estudos direto no seu e-mail.
Preencha o Formulário e Fique Sempre Atualizado!

Não se prepocupe, seus dados serão mantidos em sigilo.

TOP