Suplementação Simbiótica Reduz os Marcadores Inflamatórias na DAC

por INSTITUTO HI-NUTRITION / 6 Junho 2018 / Estudo Científico

Introdução

O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é um distúrbio metabólico com co-morbidades comuns, como obesidade e doença cardiovascular (DCV). A DCV é responsável por 75% das mortes em indivíduos diabéticos. Múltiplos fatores de risco preexistentes, incluindo doenças cardiovasculares, diabetes e sobrepeso/obesidade, aumentam a vulnerabilidade à doença arterial coronariana (DAC), a principal causa de morte nos países desenvolvidos. Além disso, alguns estudos tem demonstrado a relação da Espessura das Camadas Íntima e Média da Carótida (CIMT) com a síndrome metabólica e inflamação sistêmica.

Os efeitos benéficos da suplementação de simbióticos nos perfis metabólicos foram relatados anteriormente em pacientes com DM2, diabetes mellitus gestacional (DMG), doença hepática gordurosa não alcoólica e DM2 em não-obesos.

Além disso, pesquisadores demonstraram que a suplementação simbiótica por 8 semanas entre pacientes com DM2 poderia diminuir os níveis circulantes de citocinas inflamatórias. Em um estudo de meta-análise também foi observado que a suplementação simbiótica entre pacientes com diabetes teve efeitos benéficos sobre o controle glicêmico, triglicérides, colesterol total e VLDL. Além disso, a ingestão de probióticos foi benéfica no controle do diabetes induzido por estreptozotocina e suas complicações.

Estudos prévios demonstraram que a administração de simbióticos em pacientes com DMT2 aumentou significativamente o NO plasmático e malondialdeído (MDA).

Objetivo do Estudo

Farrokhian et al. (2017) conduziram esse estudo que teve como objetivo avaliar os efeitos da suplementação simbiótica na Espessura das Camadas Íntima e Média da Carótida (CIMT), biomarcadores de inflamação e estresse oxidativo em indivíduos com Doença Arterial Coronariana (DAC). Para isso, 60 indivíduos com idades entre 50 e 85 anos de idade, com diabetes, sobrepeso e DAC foram randomizados para receberem Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei e Bifidobacterium bifidum 2X109 UFC/g cada associado a Inulina 800 mg (Grupo 1) ou placebo (Grupo 2).

Resultados:

  • Após as 12 semanas de intervenção, comparado ao placebo, a suplementação com simbióticos reduziu significativamente os níveis séricos de proteína C reativa de Alta Sensibilidade (hs-CRP) (- 3101,7 ± 5109,1 vs. – 6,2 ± 3163,6 ng/mL, P = 0.02), malondialdeído (MDA) plasmático (- 0,6 ± 1,0 vs. – 0,1 ± 0,3 μmol/L, P = 0.01);

  • Além disso, a suplementação promoveu aumento significativo dos níveis de Óxido Nítrico (NO) em comparação ao placebo (+ 7,8 ± 10,3 vs. – 3,6 ± 6,9 μmol/L, P < 0.001).


Conclusão:

Os pesquisadores concluíram que a suplementação simbiótica durante 12 semanas entre indivíduos com sobrepeso, diabetes e DAC tem efeitos benéficos no hs-CRP, NO plasmático e níveis de MDA.

Referência:

Farrokhian A1, Raygan F1, Soltani A2, Tajabadi-Ebrahimi M3, Sharifi Esfahani M4, Karami AA5, Asemi Z6. The Effects of Synbiotic Supplementation on Carotid Intima-Media Thickness, Biomarkers of Inflammation, and Oxidative Stress in People with Overweight, Diabetes, and Coronary Heart Disease: a Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Trial. Probiotics Antimicrob Proteins. 2017 Oct 27. doi: 10.1007/s12602-017-9343-1. [Epub ahead of print]

TOP