Oligofrutose Melhora a Saciedade em Crianças Obesas

por INSTITUTO HI-NUTRITION / 6 Junho 2018 / Estudo Científico

Introdução

Mais de um terço das crianças americanas e canadenses têm excesso de peso ou são obesas. O atual ambiente obesogênico, que inclui alimentos altamente palatáveis prontamente disponíveis e com baixo teor de fibra alimentar, é um fator que contribui para o aumento da obesidade infantil. Apesar do aumento da obesidade infantil em todo o mundo, a composição corporal varia muito dentro das populações, mesmo dentro de famílias que compartilham ambientes e estilos de vida semelhantes.

A variabilidade intrapopulacional na adiposidade sugere que existem características de nível individual que podem aumentar o risco de uma criança desenvolver obesidade. Traços apetitivos, incluindo baixa capacidade de resposta à saciedade e alta responsividade alimentar, podem ser características importantes no nível individual que levam a criança a comer demais ou comer na ausência da fome, contribuindo para o desequilíbrio crônico de energia e ganho de peso.

A obesidade na adolescência é preditiva da obesidade na idade adulta e a obtenção de um peso corporal saudável e estilo de vida na infância deve, portanto, ser uma das principais prioridades das estratégias que visam reduzir a obesidade.

Os tratamentos típicos baseados na nutrição para o manejo da obesidade na idade adulta geralmente incluem dietas restritivas que reduzem a ingestão de energia e/ou alteram dramaticamente a ingestão de macronutrientes; entretanto, essas abordagens são menos eficazes em crianças e podem promover o ganho de peso por meio da compulsão alimentar, maior desejo por alimentos restritos e maior consumo de “lanches” ao longo do dia. Alternativamente, concentrar-se na adição de certos alimentos e nutrientes que são conhecidos por reduzir o risco de obesidade, como fibra alimentar, representa uma opção de manejo potencialmente mais adequada na população pediátrica.

O aumento da ingestão de fibra alimentar por meio de um tipo específico de fibra chamado prebiótico pode estimular os hormônios da saciedade e melhorar o controle do apetite, ajudando, assim, a controlar o peso corporal. Os benefícios à saúde dos prebióticos são mais frequentemente atribuídos à sua capacidade de estimular o crescimento e a atividade de bactérias promotoras de saúde no intestino, melhorando simultaneamente as concentrações de glicose pós-prandial e insulina. Os prebióticos mostraram diminuir a ingestão de alimentos e reduzir a gordura corporal em adultos com sobrepeso e obesidade.

Objetivo do Estudo

Esse estudo randomizado, duplo-cego e placebo-controlado, conduzido por Hume et al. (2017) teve como objetivo avaliar os efeitos da suplementação com prebióticos no controle do apetite e ingestão calórica em crianças com sobrepeso ou obesidade. Dessa forma, 42 meninos e meninas com idade entre 7 e 12 anos foram selecionados para receberem durante 16 semanas oligofrutose 8 g ao dia ou placebo.

Os parâmetros avaliados foram ingestão calórica em um buffet de café, registro da alimentação e concentração de hormônio da saciedade em jejum. Além disso, foi utilizado o questionário Children's Eating Behavior.

Resultados

Comparado com placebo, a suplementação de prebiótico resultou em sensação significativamente maior de plenitude (p= 0,04) e menor consumo alimentar prospectivo (p= 0,03) no buffet de café da manhã na semana 16 em comparação com o início do estudo. Além disso, a suplementação de prebióticos reduziu significativamente a ingestão calórica na semana 16 no buffet do café nos indivíduos de 11 e 12 anos de idade (p=0,04) em comparação ao placebo. As concentrações em jejum de adiponectina (p= 0,04) e grelina (p= 0,03) aumentaram na semana 16 com o prebióticos em comparação ao placebo.

Conclusão

Os pesquisadores concluíram que independente das alterações no estilo de vida, a suplementação prebiótica em crianças com sobrepeso e obesidade melhora as avaliações subjetivas de apetite.

Referência

Hume MP1, Nicolucci AC1, Reimer RA2,3. Prebiotic supplementation improves appetite control in children with overweight and obesity: a randomized controlled trial.
Am J Clin Nutr. 2017 Apr;105(4):790-799. doi: 10.3945/ajcn.116.140947. Epub 2017 Feb 22.

TOP