Green Tea apresenta superioridade a Metformina no controle glicêmico e perfil lipídico.

por INSTITUTO HI-NUTRITION / 4 Junho 2018 / Estudo Científico

Introdução

A obesidade está correlacionada com distúrbios nas ilhotas pancreáticas, controle glicêmico descompensado e tolerância à glicose diminuída, todos os quais aumentam o risco de diabetes mellitus tipo 2 (DM2). Estudos mostram que mudanças no estilo de vida podem atrasar ou prevenir o DM2 em indivíduos com obesidade.

Em alguns casos, intervenções farmacológicas com agentes antidiabéticos orais, como a metformina, têm sido usadas para minimizar o risco de DM2, mesmo em pacientes obesos não diabéticos. No entanto, em um estudo cruzado com mulheres obesas não diabéticas, a metformina não melhorou a glicemia como esperado. Além disso, mudanças no estilo de vida podem ser iguais ou mais efetivas do que a metformina no tratamento de níveis anormais de glicose. Além disso, os efeitos colaterais relacionados ao uso regular de metformina, como episódios de diarreia e vômitos, podem levar à descontinuação do tratamento.

O chá verde possui ações semelhantes à metformina no controle da produção e captação de glicose, o que pode ser útil para a prevenção e tratamento de complicações relacionadas à obesidade. Com base em sua atividade, o chá verde pode melhorar o controle glicêmico, reduzir a gordura corporal e melhorar outros fatores de risco para o diabetes tipo 2, como o perfil lipídico. Até onde sabemos, estudos comparando os efeitos da metformina e do chá verde, individualmente e em combinação, sobre a composição corporal e os fatores de risco do DM2 em humanos não estão disponíveis. Portanto, conduzimos o atual estudo duplo-cego, placebo-controlado, randomizado para avaliar os efeitos de um extrato de chá verde e metformina, individualmente e em combinação, na composição corporal, perfil lipídico e resistência à insulina em mulheres com sobrepeso não diabéticas.

Objetivo do Estudo

Esse estudo avaliou os efeitos do Green tea e metformina, individualmente ou sua combinação, nos fatores de risco de diabetes tipo 2 em mulheres sobrepesadas não-diabéticas. No total, 120 mulheres sobrepesadas foram randomizadas nesse estudo duplo-cego, no qual receberam Green tea 1 g/dia (Grupo 1), Metformina 1 g/dia (Grupo 2), a associação de Green tea e metformina (Grupo 3) ou controle (Grupo 4).

Resultados:

  • Embora não tenham sido observadas interações significativas no controle glicêmico, o grupo 1 reduziu a glicemia em jejum (-4,428±2,00; p= 0,031), porém a combinação de green tea e metformina não apresentou esse efeito;

  • A metformina aumentou a concentração de HbA1c (0,048±0,189%; p= 0,017) e também reduziu o peso corporal (-1,318±0,366 kg; p= 0,034), IMC (-0,460±0,153; p= 0,016) e a massa magra (-1,499±0,386; p= 0,02);

  • Em relação ao parâmetros lipídicos, o green tea reduziu significativamente o colesterol total (-11,467 mg/dL±3,71; p= 0.047) e o LDL-c (-5,031 mg/dL±3,82; p= 0,024).

Conclusão:

De acordo com os resultados, o Green tea foi superior a metformina na melhora do controle glicêmico e perfil lipídico em mulheres sobrepesadas não-diabéticas e, assim, é uma alternativa promissora na redução dos riscos de diabetes tipo 2 nesses pacientes.

Referência:

Alves Ferreira M1, Oliveira Gomes AP1, Guimarães de Moraes AP1, Ferreira Stringhini ML1, Mota JF1, Siqueira Guedes Coelho A1, Borges Botelho P2. Green tea extract outperforms metformin in lipid profile and glycaemic control in overweight women: A double-blind, placebo-controlled, randomized trial. Clin Nutr ESPEN. 2017 Dec;22:1-6. doi: 10.1016/j.clnesp.2017.08.008. Epub 2017 Aug 31.

Receba este e outros estudos direto no seu e-mail.
Preencha o Formulário e Fique Sempre Atualizado!

Não se prepocupe, seus dados serão mantidos em sigilo.

TOP