Efeitos da suplementação de Canela contra o estresse oxidativo, inflamação e resistência à insulina em pacientes com Diabetes Mellitus Tipo 2.

por INSTITUTO HI-NUTRITION / 6 Fevereiro 2018 / Estudo Científico

Introdução

O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é um distúrbio metabólico com etiologia múltipla e é uma das principais causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, que é caracterizada por hiperinsulinemia, resistência à insulina, disfunção de células β e subsequente falha de células β.

O DM2 está associado tanto a complicações microvasculares (como retinopatia, nefropatia e neuropatia) e macrovasculares (doenças cardiovasculares, DCV ). A incidência de doenças cardiovasculares aumenta duas a quatro vezes em pessoas com DM2. O DM2 leva a danos cardiovasculares por diferentes mecanismos, como a ativação de proteínas kinase C, poliol e hexosamina e produção avançada de produtos de glicação final. Todas estas vias, em associação com a disfunção mitocondrial induzida pela hiperglicemia e o estresse do retículo endoplasmático, promovem acúmulo de espécies reativas de oxigênio (ROS) que promovem o dano celular e contribuem para o desenvolvimento e progressão das complicações diabéticas.

O estresse oxidativo induzido pela hiperglicemia induz disfunção endotelial que desempenha um papel central na patogênese das doenças micro e macrovasculares. Embora as causas de DM2 e doenças cardiovasculares sejam multifatoriais, a dieta definitivamente desempenha um papel na incidência e gravidade dessas doenças.

Os tratamentos farmacológicos convencionais para DM2 têm uma série de limitações, como efeitos adversos e altas taxas de falha secundária. Contudo, espera-se que as ervas medicinais tenham uma eficácia semelhante sem os efeitos colaterais associados ao tratamento convencional de drogas.

Estudos recentes demonstram que as plantas são importantes para a prevenção e controle de DM2. Polifenóis são os produtos finais da biossíntese de flavonóides em plantas e são utilizados pelas plantas para proteção contra predadores. Os polifenóis vegetais também estão amplamente presentes nos alimentos para uso humano e são importantes para a saúde humana, incluindo a prevenção e/ou o tratamento do estresse oxidativo e resistência à insulina. Assim, os estudos têm frequentemente focado em componentes alimentares benéficos para prevenção e tratamento.

Em geral, usamos Cinnamomum genus como erva medicinal; Canela de Ceylon (Cinnamomum zeylanicum) e canela de Cassia chinesa (Cinnamomum aromaticum) são as variedades mais disponíveis. O principal ingrediente ativo da canela é considerado um tipo de polifenóis do tipo A, que são oligômeros de procianidina duplamente ligados das catequinas e/ou epicatequinas. Estes polímeros polifenólicos encontrados na canela podem funcionar como antioxidantes, que potencializa a ação da insulina e podem ser benéficos no controle da intolerância à glicose e do diabetes, além de reduzir a doença cardiovascular e aumentar a função cognitiva.

O cinamaldeído, um dos principais conteúdos de canela, reduziu a atividade transcricional do tipo nuclear kappaB (NF-kB) induzida por lipopolisacarídeos (LPS) através da inibição da atividade de ligação ao DNA nos macrófagos. Além disso, o cinamaldeído foi revelado para reduzir a atividade da ciclooxigenase-2 induzida por interleucina-1b (IL-1b) em células endoteliais e para a prática de vários produtos biológicos como atividade anti-angiogênica e atividade imunomoduladora. A canela também produz ação protetora contra a oxidação de lipídeos e proteínas na organização da membrana usando a habilidade de fenóis de canela para eliminar as espécies reativas de oxigênio (ROS).

Segundo os dados achados, hipotetizamos que a canela foi atuada com atividades biológicas e antioxidantes semelhantes a insulina e poderia melhorar o estresse oxidativo, capacidade antioxidante total, sensibilidade à insulina, inflamação e resistência à insulina em pacientes com DM2. Portanto, nosso estudo atual foi projetado para investigar os efeitos de uma suplementação de sessenta dias com cápsula de canela sobre resistência à insulina, sensibilidade à insulina, níveis de insulina, estresse oxidativo, capacidade antioxidante total e proteína C reativa (hs-CRP), uma inflamação comum em indivíduos com T2DM.

Materiais e Métodos

Um estudo randomizado, duplo cego e controlado por placebo investigou o efeito da suplementação de canela em pacientes com Diabetes Méllitus tipo 2. Cento e seis pacientes participaram do estudo e foram divididos em dois grupos para receber cápsulas de Canela 500mg três vezes ao dia, após as principais refeições ou placebo por 60 dias. A capacidade antioxidante total, inflamação, sensibilidade à insulina e resistência à insulina foram avaliados. Todo os pacientes foram orientados a continuarem com o tratamento convencional e retornarem um dia após o início do tratamento com as cápsulas para avaliar os efeitos da suplementação. O peso e a pressão arterial foram medidos, e o índice de massa corporal (IMC) foi calculado.

Resultados

O uso continuo da suplementação não apresentou efeitos adversos. O grupo da suplementação de Canela demosntrou que os níveis de insulina, glicose e inflamação foram significativamente diminuídos enquanto a capacidade antioxidante total e a sensibilidade á insulina aumentaram em relação ao grupo placebo.

No grupo de suplementação de canela foi demonstrado que os níveis de malondialdeído (MDA), Proteína C reativa de alta sensibilidade (hs-CRP), glicose, insulina, Homeostasis model assessment (HOMA)-IR e HOMA% β foram significativamente diminuídos (p <0,05), enquanto o capacidade antioxidante total (TAC) e a sensibilidade a insulina (QUICKI) foram significativamente aumentados (p <0,05). O estudo demonstrou nenhum efeito de perda de peso na suplementação de canela. No grupo placebo, descobrimos que os níveis de MDA e hs-CRP foram significativamente aumentados (p <0,05) e o TAC foi significativamente diminuído (p <0,05) no final do período de estudo, enquanto a glicose, HOMA-IR, HOMA% β, Os níveis QUICKI e insulina não foram significativamente diferentes, mas houve tendência para aumentar nestes marcadores.

Conclusão

De acordo com o estudo, os pesquisadores concluiram que a suplementação de canela pode ser considerada uma opção complementar de suplemento dietético para prevenir e regular as complicações diabéticas juntamente com medicamentos convencionais no tratamento da Diabete Mellitus tipo 2.

Receba este e outros estudos direto no seu e-mail.
Preencha o Formulário e Fique Sempre Atualizado!

Não se prepocupe, seus dados serão mantidos em sigilo.

TOP