Genisteína Previne a Redução da DMO em Mulheres Pós-Menopausadas

A deficiência de estrógenos é uma das causas mais importantes da osteoporose. A terapia de reposição hormonal auxilia no aumento da Densidade Mineral Óssea (DMO) e diminui o risco de fraturas, porém está associada com efeitos adversos que podem limitar seu uso. Os fitoesterois são uma alternativa as mulheres que apresentam efeitos colaterais à Terapia de Reposição Hormonal tradicional e podem auxiliar no aumento da DMO. Dentre os fitoestrógenos destaca-se a genisteína.

Suplementação Simbiótica Reduz os Marcadores Inflamatórias na DAC
O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é um distúrbio metabólico com co-morbidades comuns, como obesidade e doença cardiovascular (DCV). A DCV é responsável por 75% das mortes em indivíduos diabéticos. Múltiplos fatores de risco preexistentes, incluindo doenças cardiovasculares, diabetes e sobrepeso/obesidade, aumentam a vulnerabilidade à doença arterial coronariana (DAC), a principal causa de morte nos países desenvolvidos. 
Oligofrutose Melhora a Saciedade em Crianças Obesas

Mais de um terço das crianças americanas e canadenses têm excesso de peso ou são obesas. O atual ambiente obesogênico, que inclui alimentos altamente palatáveis prontamente disponíveis e com baixo teor de fibra alimentar, é um fator que contribui para o aumento da obesidade infantil. Apesar do aumento da obesidade infantil em todo o mundo, a composição corporal varia muito dentro das populações, mesmo dentro de famílias que compartilham ambientes e estilos de vida semelhantes.

Curcumina na Prevenção e Gerenciamento da Osteopenia

A osteopenia (baixa densidade óssea) é uma condição crônica caracterizada pela redução da calcificação, densidade ou massa óssea. Essa perda progressiva óssea pode eventualmente levar a osteoporose e fraturas, se não diagnosticada e tratada. A maioria dos casos ocorre em indivíduos idosos, particularmente, mulheres pós-menopausadas, devido ao declínio nos níveis de estrógeno.

Green Tea apresenta superioridade a Metformina no controle glicêmico e perfil lipídico.

A obesidade está correlacionada com distúrbios nas ilhotas pancreáticas, controle glicêmico descompensado e tolerância à glicose diminuída, todos os quais aumentam o risco de diabetes mellitus tipo 2 (DM2). Estudos mostram que mudanças no estilo de vida podem atrasar ou prevenir o DM2 em indivíduos com obesidade. Em alguns casos, intervenções farmacológicas com agentes antidiabéticos orais, como a metformina, têm sido usadas para minimizar o risco de DM2, mesmo em pacientes obesos não diabéticos. 

Ashwagandha normaliza os níveis séricos de TSH, T3 e T4 no Hipotireoidismo Subclínico

O hipotireoidismo subclínico (HSC), alternativamente denominado insuficiência tireoidiana leve, geralmente surge devido à sua precursora, a tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune crônica. A elevação do hormônio estimulante da tireoide sérico (TSH), apesar dos níveis normais de tiroxina sérica (T4), sugere que o HSC. O HSC ocorre em 3% a 8% da população total, afetando 6% a 10% das mulheres e 2,4% a 3% dos homens. 

Olá visitante, receba

notícias, vídeos e curiosidades sobre o mundo da nutrição
Insira seu e-mail:
Não mostrar novamente!
TOP